Que tipo de material pode ir em cada lixeira de coleta seletiva? - Merchan Plásticos
Blog

Que tipo de material pode ir em cada lixeira de coleta seletiva?

Que tipo de material pode ir em cada lixeira de coleta seletiva?

A coleta seletiva é um processo que otimiza a destinação dos lixos. Ou seja, é a separação e recolhimento de resíduos descartados por pessoas e/ou empresas. Os materiais que podem ser reciclados devem ser separados de materiais orgânicos que servem para compostagem: Folhas e flores secas, cascas de ovos, restos de frutas e vegetais, lascas e raspas de madeira, ramos, borras de café (incluindo o filtro) e restos de carnes são alguns deles. 

E os rejeitos, que não apresentam nenhuma forma de reutilização, devem ser destinados a aterros sanitários. 

Como fazer o descarte correto dos lixos? 

Segundo o CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente, existem dez tipos de lixeiras disponíveis para uma coleta seletiva eficiente, representadas por diferentes cores: 

Lixeira vermelha: Plásticos 

  • Garrafas PET,
  • frascos de shampoo e condicionador,
  • embalagens de produtos de limpeza,
  • sacolas plásticas,
  • embalagens não metalizadas de alimentos,
  • canetas,
  • e até mesmo escovas de dentes podem ser descartadas nesse lixo.

Contudo, é importante tomar algumas providências para a separação ideal. O material deve ser higienizado.

O tempo que leva para chegar até o processo de reciclagem pode contribuir para a proliferação de sujeiras que atrapalham o processo final. Além disso, nem todos os plásticos podem ser reciclados, como é o caso de:

  • algumas garrafas PET coloridas,
  • isopor,
  • celofane,
  • esponjas de lavar louça,
  • plásticos metalizados.

Esses devem ser descartados juntos com os rejeitos. 

Lixeira azul: Papel 

  • Jornais,
  • revistas,
  • folhas de caderno,
  • sulfite,
  • papéis de presente,
  • caixas de papelão,
  • cartolinas, etc.

Contudo, papel vegetal, papel celofane, papel carbono, etiquetas e adesivos, papel higiênico, lenços e guardanapos não podem ser reciclados

Lixeira verde: Vidro

  • Copos,
  • travessas,
  • frascos de remédios e perfumes,
  • garrafas e potes podem ser descartados nesse lixo.

Atualmente, algumas cooperativas já trabalham reciclando laminados, espelhos e vidros temperados, que costumam deixar o processo mais caro e trabalhoso.

É importante se atentar para o descarte de vidros quebrados, sempre que esse for o caso, o ideal é colocar os cacos em embalagens plásticas resistentes e sinalizar possíveis acidentes. Lâmpadas não são recicláveis, lojas que vendem esse material devem possuir postos de coleta para o descarte correto.

Lixeira amarela: Metais

Embalagens de produtos enlatados: latas de milho e molhos, latas de sucos, refrigerantes e cervejas, entre outros produtos, devem sempre ser higienizados para a reciclagem.

Agulhas, clips, grampos e esponjas de aço não são recicláveis.   

Lixeira laranja: Pilhas e baterias

Esses materiais devem ser entregues às assistências técnicas ou estabelecimentos que comercializam, pois, a responsabilidade por recolher adequadamente as pilhas e baterias usadas é do fabricante. No rótulo de algumas embalagens é possível identificar se o descarte pode ser feito no lixo comum.

Lixeira branca: Lixo hospitalar

A Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, determina regras específicas para o descarte desses resíduos.

Medicamentos vencidos, gases, algodão, agulhas, seringas, materiais cortantes e outros materiais devem ser descartados em caixas amarelas disponíveis em hospitais, farmácias e ambulatórios. O descarte irregular pode comprometer a saúde da população e contaminar o solo e a água, já que podem estar infectados com substâncias tóxicas, além de sangue, urina, fezes, etc. 

Lixeira preta: Madeira

Todos que trabalham no setor madeireiro devem oferecer o serviço de descarte adequado desses materiais. Deixar madeiras em terrenos baldios, áreas públicas ou lixões configura em crime ambiental e passível de multa, de acordo com a lei nº 9.605/98. 

Lixeira roxa: Lixo radioativo 

O lixo radioativo de maior proximidade com o nosso dia a dia é o lixo produzido em laboratórios de exames clínicos. Esse lixo deve ser descartado em institutos energéticos. 

Lixeira marrom: Lixo orgânico 

A reciclagem do lixo orgânico pode ser feita em casa, é utilizada para compostagem, que serve como adubo natural para todos os tipos de plantas. 

Lixeira cinza: Lixo não reciclável

São resíduos sólidos que não servem para reciclagem, que já atingiram todas as possibilidades de reaproveitamento.  

Por que é importante reciclar? 

Segundo a Abrelpe – Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, cerca de 80 milhões de toneladas de lixo são geradas por ano no Brasil, mas somente 4% são recicladas. Outro fator importante é o fato de que não são todos os municípios brasileiros que contam com a coleta seletiva de lixo, o número fica em cerca de 70%. Esse lixo é constantemente descartado no meio ambiente, contaminando o solo e lençóis freáticos, aumentando o aquecimento global. Além de gerar o desperdício de energia e água. 

A reciclagem é um processo mais consciente de reaproveitamento de produtos que podem ser utilizados de diferentes maneiras, isso é importante quando levado em consideração o tempo de decomposição de alguns materiais. O vidro, por exemplo, demora mais de 1000 anos para desaparecer completamente do meio ambiente. 

Além disso, a reciclagem gera renda para milhares de brasileiros, que dependem da coleta para a sobrevivência. Ainda de acordo com a Abrelpe, o Brasil perde R$14 bilhões por ano por não reciclar adequadamente. Ou seja, trata-se de um processo importante para o meio ambiente, saúde humana e economia do país.

Comentários