O que a escolha da lixeira tem a ver com o meio-ambiente? - Merchan Plásticos
Blog

O que a escolha da lixeira tem a ver com o meio-ambiente?

O que a escolha da lixeira tem a ver com o meio-ambiente?

Nos últimos tempos, cada vez mais discursos de sustentabilidade e preservação do meio ambiente têm sido pauta de muitas organizações, movimentos e campanhas.

Embora algumas pessoas possam não considerar o assunto, muitas vezes, fazer a nossa parte é simples, bastando, por exemplo, saber reciclar o próprio lixo. A coleta seletiva é uma importante etapa nesse momento, assim como saber a importância de escolher a lixeira corretamente.

Mas não se preocupe! Reunimos aqui tudo o que você precisa saber sobre como contribuir com a preservação do meio ambiente por meio da reciclagem e separação do lixo. Confira!

A importância de reciclar o lixo para o meio ambiente

Antes de entendermos qual a importância da reciclagem, é preciso compreender o que ela significa.

Como um mecanismo de reaproveitamento, a reciclagem é um processo ou efeito que dá nova origem a uma matéria-prima ou substância. O objetivo desse processo é justamente minimizar os impactos causados com rejeitos e acúmulos no meio ambiente.

A reciclagem trabalha com procedimentos que se iniciam desde a separação do lixo até a sua transformação, ou seja, reintrodução no ciclo de produção e consumo. Por isso, a escolha da lixeira e a separação correta do lixo é muito importante.

Há uma gama de materiais que podem ser transformados e reaproveitados quase 100%, como o alumínio. Uma vez derretido, é possível que ele volte para produção industrial e, dessa forma, ganhe nova origem.

Nesse sentido, há inúmeras vantagens da reciclagem, entre elas:

  • Minimização de impactos ambientais;
  • Diminuição do uso de fontes naturais não-renováveis;
  • Redução de resíduos e gases no ar;
  • Diminuição de lixos nas ruas e mares, evitando a poluição;
  • Redução de custos de produção no setor industrial.

O que é considerado reciclagem e o que não é

Todo material residual descartado que possa ser transformado em parte ou integralmente é um elemento reciclável. Uma vez processados pela reciclagem, eles retornam à cadeia de produção e podem virar outro produto.

Nesse sentido, veja alguns exemplos de material reciclável:

  • Papel;
  • Jornais;
  • Revistas;
  • Caixas;
  • Papelão;
  • Garrafas pet;
  • Recipientes;
  • Latas;
  • Embalagens;
  • Produtos eletroeletrônicos.

No entanto, há alguns materiais que não entram na linha de processo do lixo reciclável, uma vez que não poderão ser transformados e reaproveitados, como:

  • Copos de papel;
  • Fita crepe;
  • Filtros de cigarros;
  • Fotografias;
  • Guardanapos;
  • Adesivos;
  • Cerâmicas;
  • Porcelana;
  • Cabos de panela;
  • Tomadas;
  • Grampos;
  • Clipes;
  • Papel higiênico;
  • Espelhos.

O que é e como funciona a coleta seletiva

Questões de sustentabilidade e preservação do meio ambiente envolvem também o tema de coleta seletiva, quando se fala do lixo reciclável e sua importância para minimizar impactos ambientais. Mas você sabe o que é e como funciona?

A coleta seletiva acontece após a separação inicial de resíduos entre recicláveis e não recicláveis. Ao separá-los por sua constituição ou composição, alguns acabam sendo unificados por suas características similares, por isso são selecionados e disponibilizados para uma coleta separada.

Ou seja, coleta seletiva é uma separação diferenciada de resíduos já manuseados previamente. A Política Nacional de Resíduos Sólidos exige a implantação desse processo como base mínima dos planos de coleta municipal de lixo, por exemplo.

Vale ressaltar que em estudo realizado pelo CEMPRE, foi possível perceber que os resíduos sólidos urbanos são responsáveis por 53,2 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera do Brasil, anualmente.

E, nesse sentido, a coleta seletiva pode ser de rica importância, uma vez que o CEMPRE também apontou que uma melhor manutenção de resíduos pode reduzir 20% a emissão de carbono no ar.

Como escolher a lixeira para coletar o lixo

Agora que você já entendeu tudo sobre a coleta seletiva e a reciclagem de lixo, precisa entender também que é possível fazer a sua parte nesse movimento por um Brasil mais sustentável, menos poluído e com o meio ambiente preservado.

Por exemplo, você sabe por que a escolha da sua lixeira é importante? Uma vez que a coleta de lixo é feita de forma errônea, utilizando más técnicas e procedimentos incabíveis, poderá acarretar em mais problemas ambientais.

O papel, por exemplo, é um tipo de material reciclável que merece atenção, visto que ele é capaz de gerar lodo ou lama quando misturado a produtos químicos que não são descartados corretamente.

Então, para escolher sua lixeira de forma consciente, basta seguir as cores da coleta seletiva:

  • Azul: todo tipo de papel e papelão
  • Vermelho: materiais de plástico;
  • Verde: objetos de vidro;
  • Amarelo: elementos de metal;
  • Preto: o que for de madeira;
  • Laranja: resíduos considerados perigosos (pilhas, baterias);
  • Branco: lixo de hospitais e intuições de saúde;
  • Roxo: elementos radioativos;
  • Marrom: lixo orgânico;
  • Cinza: o que não é reciclável, está contaminado ou é inseparável.

Além disso, é preciso saber qual tipo de material terá a sua lixeira: vidro, plástico ou metal, que são as mais comuns no País. Seja qual for a sua escolha, é importante que sejam de qualidade e resistentes, além de contribuir com a praticidade do dia a dia.

É importante, no entanto, que sejam especificamente para coleta de lixo, uma vez que possuem toda sua construção pensada para este fim. 

Por exemplo, existem as lixeiras ergonomicamente desenhadas, com tampa e sem tampa, com alavanca ou basculante, estilo poste ou com fixação para saco de lixo, entre outras.

Como coletar o lixo corretamente?

Por fim, para fazer a coleta do lixo de forma consciente há algumas dicas que vão além das cores da coleta seletiva. Confira:

  • Antes de tudo, separe o lixo reciclável do não reciclável;
  • Agora, tenha em mente que é muito importante a higienização dos elementos (para evitar acúmulo de insetos e mau cheiro), embalagens e recipientes, portanto, limpe tudo que estiver com resíduos alimentícios, por exemplo;
  • Após isso, vá separando o lixo orgânico do inorgânico;
  • Quando se tratar de lixo como papéis e caixas de papelão, rasgue-os e organize de forma que aumente o espaço na lixeira, o que facilitará para os catadores;
  • Com relação a latas, amasse-as sempre que der;
  • O óleo de cozinha deve ser depositado em garrafas pet e entregue em pontos específicos para este fim;
  • Por fim, separe o lixo conforme suas características e jogue-os em suas respectivas lixeiras.

Dessa forma, você estará contribuindo para a preservação do meio ambiente de modo simples, mas muito eficaz com relação a diminuição de impactos ambientais.

Comentários