Como dimensionar a quantidade a ser comprada e gerir o estoque? - Merchan Plásticos
Blog

Como dimensionar a quantidade a ser comprada e gerir o estoque?

Como dimensionar a quantidade a ser comprada e gerir o estoque?

Dimensionar a quantidade a ser comprada e a gestão de estoque têm íntima ligação com o lucro e resultado do seu negócio. Gerenciar o estoque é o mesmo que gerir os materiais a serem comprados e que trarão receitas para a empresa.

Além disso, fazer um bom controle de estoque é imprescindível às empresas que trabalham com mercadorias, uma vez que a quantidade de insumo armazenada deve ser suficiente para manter o controle orçamentário em ordem.

Nesse sentido, é fundamental dimensionar a quantidade a ser comprada e bem gerir o estoque do negócio. Neste post, vamos auxiliá-lo a compreender o assunto! Confira!

O controle de estoque

Não resta dúvida que o controle de estoque é essencial, sobretudo, às empresas que comercializam produtos físicos. Daí vem a importância de ter o estoque sempre bem controlado.

O controle de estoque objetiva gerar o maior lucro possível contando com a menor quantidade de investimento em estoque. Isso, é claro, sem prejudicar os níveis de satisfações dos clientes.

Algumas regras que podem maximizar a eficiência e rentabilidade do estoque são:

  1. Não descuide da relação entre orçamento e estoque: Parece uma regra clara, mas muitas empresas não consideram a relação que existe entre o estoque e orçamento empresarial. Toda empresa só conseguirá contar com uma boa sustentabilidade orçamentária se levar em consideração o orçamento.
  2. Monitoramento dos níveis de inventário: Uma maneira bastante eficiente de se gerenciar o inventário é conhecer o giro de estoque. Limite o inventário sazonal e reduza os estoques que não saem da prateleira.
  3. Gestão de estoque automatizada: Algumas empresas costumam se valer planilhas a fim de gerir seus estoques. Ocorre que, em muitos casos, podem existir furos nas planilhas. O ideal é investimento em softwares que tornarão automatizado todo o processo.
  4. Estoque organizado: é fundamental manter o estoque organizado, uma vez que será muito mais fácil controlar os itens que estão em estoque.
  5. Giro de estoque: Por meio do giro de estoque é possível conhecer a velocidade em que o estoque é consumido.

Mas, afinal, o que é o Giro de Estoque?

imagem de notebook com código de barra sobre

O Giro de Estoque é um indicador que afere a velocidade em que o inventário da empresa está sendo vendido. Costuma ser uma das ferramentas mais utilizadas pelas empresas na gestão de estoque, uma vez que mostra toda a cadeia de suprimentos.

Por meio do controle de estoque, é possível identificar quais itens trazem lucro para a empresa e também os que causam efeito contrário.  Através da análise da saúde financeira da empresa, é possível a adoção de estratégias mais acertadas quanto o controle de estoque.

A partir do momento que a empresa tem o conhecimento do Giro de Estoque, a empresa consegue identificar o volume do inventário. Daí se o estoque tem uma rotatividade alta, significa que o produto sai muito.

Por outro lado, se determinado produto possui baixa rotatividade de estoque significa que a procura está baixa. Daí significa que talvez a empresa precise mudar as estratégias de marketing, até mesmo para alcançar o público-alvo correto.

Os fornecedores

Uma das principais dificuldades das empresas é encontrar bons fornecedores. Por isso, antes de adquirir qualquer insumo é imprescindível que o setor de compras conheça a reputação do fornecedor.

A boa escolha do fornecedor é fundamental até mesmo para o nome da empresa, pois imagina adquirir matéria-prima de má qualidade, seria desastroso para o consumidor.

Além disso, é fundamental contar com fornecedor que cumpra os prazos e, em casos imprevisíveis, consiga entregar uma quantidade maior de produto em tempo hábil. Daí contar com uma boa relação contratual poderá ser o primeiro passo para o sucesso!

A quantidade adequada

É importante acompanhar o fluxo de materiais do estoque a fim de que se consiga identificar a quantidade ideal de produtos que precisam de adquiridos.

Compras exageradas podem trazer prejuízos, tais como:

  • Falta de local para armazenar;
  • Perda de produtos;
  • Gastos além do necessário, entre outros.

Por outro lado, adquirir quantidades em valores menores do que o necessário poderá prejudicar o andamento dos trabalhos e até mesmo a perda de vendas. Assim, o principal desafio do setor de compras é conciliar a quantidade correta com as necessidades do negócio.

O custo-benefício

A pesquisa entre os fornecedores também precisa ser feita. Para conseguir identificar se um produto apresenta ou não um bom custo-benefício, é preciso pesquisar seu valor e sua qualidade.

O profissional do setor de compras deverá analisar:

  • Qualidade do produto;
  • Resistência;
  • Tecnologia empregada na sua fabricação;
  • Custo envolvido;
  • Necessidade de reparo.

Outros fatores que também poderão ser ponderados na relação custo-benefício são o menor tempo de entrega, formas de pagamento e possibilidade de financiamento. É importante que o setor de compras trabalhe de forma a manter uma boa relação com os fornecedores.

Óbvio que sempre deverão ser priorizadas boas relações com aqueles fornecedores que cumpram o acordado e que são fornecedores de confianças. Boas parcerias podem ser fundamentais para conseguir bons produtos, por preços menores e por prazos menores.

Comentários