Plástico e sustentabilidade podem caminhar juntos? - Merchan Plásticos
Blog

Plástico e sustentabilidade podem caminhar juntos?

Plástico e sustentabilidade podem caminhar juntos?

Com advento de um mercado mais exigente e atenção às ideias de sustentabilidade, a indústria de produção do plástico, preocupa-se, cada vez mais, em se moldar de acordo com as demandas do mercado de consumo. Diria que, hoje, é um dos maiores enigmas do setor essa adequação.

Por um longo período, pensava-se que adotar ideias sustentáveis custava caro ou que apenas grandes produtores tinham capacidade de adotá-las. Contudo, hodiernamente, tem-se que se adequar a práticas sustentáveis é de fundamental importância para se atingir até mesmo um padrão de qualidade para empresa.

Algumas medidas que podem contribuir para se atingir padrões de qualidade sustentáveis:

  • Uso de tecnologias de última geração nos meios de fabricação;
  • Melhoria nos processos de produção;
  • Uso de inteligência artificial a fim de mapear matérias-primas;
  • Despojo de maneira adequadas dos produtos e matérias-primas;
  • Adoção de coleta seletiva;
  • Uso de matéria-prima sustentável, entre outras.

Esses exemplos de medidas não são exaustivos, várias medidas são necessárias para se atingir padrões sustentáveis. Além disso, o mercado, principalmente internacional, está muito mais exigente.

Nesse sentido, a ideia de desenvolvimento sustentável é de suma importância para manutenção das gerações futuras.

A importância da responsabilidade da indústria de plástico para com o meio-ambiente

Já é pacífico que o compromisso com a sustentabilidade deve ser perpetrado por todos. Com a indústria de plástico não seria diferente, a produção de plásticos sustentáveis e, sobretudo, a maneira de como se dará seu descarte é um debate que sempre estará em voga.

Segundo especialistas, plásticos são matérias que são 100% recicláveis e podem compor diversos produtos, tais como:

  • Pallets plásticos;
  • Pallets de contenção;
  • Piso plástico;
  • Caixas plásticas vazadas;
  • Caixas plásticas fechadas;
  • Caixas organizadoras;
  • Lixeiras plásticas;
  • Bobinas de PVC;
  • Cortinas em Tiras de PVC.

No entanto, é importante que ao término de sua longa vida útil, opte-se por um descarte de maneira adequada. Isso, sem dúvida, ajudará na manutenção do meio-ambiente.

Conforme os níveis de exigências atuais, atuar de maneira sustentável é dever de todas as empresas. Com isso, espera-se que se desenvolvam atitudes e adote mecanismos que vão ao encontro ao desenvolvimento ambiental, da sociedade e econômico.

Algumas ideias para incluir sustentabilidade nos negócios

No mercado dos plásticos é possível adotar ações sustentáveis através de diversas maneiras, entre elas, destacam-se:

1- Adotar na administração dos negócios medidas ecoeficientes: ou seja, por meio da cadeia produtiva, prima-se pela racionalidade da produção a fim de se economizar recursos gerando, assim, menos impacto para o meio-ambiente.

2- Aferir a “pegada ecológica” e a vida útil dos produtos fabricados: quer dizer, analisar o impacto, vestígio que, através da fabricação de determinado produto, deixou-se no meio-ambiente. Para fazer é análise, vale-se da Análise de Ciclo de Vida (ACV), em que é possível verificar o impacto ambiental em todo processo de produção.

3 – Adotar medidas voltadas ao ecodesign: ou seja, é preocupar-se com a sustentabilidade dos seus produtos desde a parte do design, desenho.

Desse modo, os insumos são pensados de forma ecológica, pautada no uso racional da matéria-prima e no adequado descarte após o término de sua vida útil. Isso, sem dúvida, pode contribuir para o desenvolvimento sustentável.

Inovação na indústria do plástico

O professor Antônio Burtoloso, do Instituto de Química de São Carlos (IQSC), da USP, criou uma técnica que permite a construção de carbono, usado na produção de plástico, por meio do reaproveitamento de bagaço da cana-de-açúcar.

Através de pesquisas em que se fizeram diversas reações químicas, o pesquisador conseguiu chegar a um composto de dez átonos de carbono (C10), que tem capacidade de ser usado na produção de plástico.

Como explica o pesquisador, ideias sustentáveis são o que se busca na atual sociedade. Com a produção do carbono, matéria-prima usada na produção do plástico, não é diferente: buscam-se fontes naturais oriundas da biomassa.

Ainda segundo o professor, por mais que o petróleo seja originário de uma fonte natural de recursos, o fóssil não é renovável. Em contrapartida, a cana-de-açúcar é produzida em grande quantidade no Brasil e seu bagaço tem alto potencial energético.

Segundo levantamento do Instituto de Economia Agrícola (IEA), no ano de 2017, o Brasil produziu cerca de 166 milhões de toneladas de bagaço de cana-de-açúcar na safra anterior (ano 2016). Ocorre que parte dessa produção é inutilizada, daí que entraria a atuação a fim de se produzir carbono.

Desse modo, será possível que esse produto que acabaria sendo descartado e inutilizado, torne-se insumo coadjuvante na produção de plástico. Este, hoje, sobretudo, oriundo do petróleo, fonte natural, mas não renovável.

Mas o que é sustentabilidade?

Quando se pensa em sustentabilidade, relaciona-se com o princípio que busca o balanço entre a disponibilidade de matéria-prima (recursos naturais) e sua exploração por meio das cadeias de produção. Em suma, objetiva o equilíbrio entre o meio-ambiente e a sociedade de consumo.

Com isso, a ideia de sustentabilidade vem trabalhando no sentido de precisar o modo em que a sociedade tem trabalhado a fim de se explorar os recursos naturais. Assim, discutem-se soluções, alternativas e medidas que contribuem para o desenvolvimento sustentável.

Hoje, fala-se, demasiadamente, em desenvolvimento sustentável pelo fato de que a sociedade, de um modo geral, tem-se atentado pela necessidade de preservação de recursos naturais para as gerações futuras. Afinal, os recursos naturais são finitos e as necessidades da sociedade não o são.

O que é desenvolvimento sustentável?

Desenvolvimento sustentável, nada mais é do que: grosso modo, o desenvolvimento da sociedade ligado à preservação do meio-ambiente. Dessa maneira, o mercado capitalista tem que estar em conexão com ideias sustentáveis.

Esse termo foi utilizado, pela primeira vez, na Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, em 1987. Segundo relatório apresentado por essa comissão: “O desenvolvimento que satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades”.

Segundo esse relatório, para que se alcance o desenvolvimento sustentável, é necessária a adoção de medidas que satisfaçam as necessidades básicas da sociedade:

  • Saúde;
  • Educação;
  • Alimentação;
  • Moradia, entre outras.

Assim, a Organização das Nações Unidas (ONU) vem, ao longo dos anos, ditando diversos objetivos a serem atingidos a fim de que as sociedades alcancem um desenvolvimento ligado ao princípio da sustentabilidade.

Comentários