Nem todo plástico é reciclado, veja aqui quais são - Merchan Plásticos
Blog

Nem todo plástico é reciclado, veja aqui quais são

Nem todo plástico é reciclado, veja aqui quais são

A reciclagem dos plásticos é um processo de sustentabilidade importante. Hoje em dia ele pode ser realizado na maioria desses materiais. Porém, ainda existem alguns tipos que não conseguem ser reaproveitados. Continue lendo e descubra quais são eles.

Porque existem plásticos que não podem ser reciclados

Quase todos os tipos de polímeros têm propriedades que permitem que eles sejam reutilizados. Entretanto, existem alguns que têm níveis de impurezas ou resistência que ainda não podem passar pelo procedimento.

A tecnologia atual tende a evoluir para encontrar soluções para esses materiais. Já que nos últimos anos o investimento sobre esse tipo de pesquisa tem crescido. Atualmente, grande parte dos plásticos recicláveis são os que sofrem alterações em altas temperaturas.

Sabemos que a reutilização dessa matéria é crucial para a preservação ambiental. Pois, ele leva anos para se decompor na natureza, prejudicando muitos ecossistemas. Além disso, seu processo de extração é caro e finito.

No Brasil ainda não há muita cultura de reuso do material. Sendo apenas cerca de 20% reciclados. O índice baixo está associado a diversos fatores que vão desde a coleta até as fábricas adequadas. Veja quais são os produtos reaproveitados.

Tipos de plástico recicláveis

As indústrias recicladoras veem um grande potencial de lucro no produto, porque ele se torna reprocessado como matéria-prima podendo ser utilizado em:

  • Conduítes;
  • Sacolas e sacos de lixo;
  • Baldes;
  • Tigelas;
  • Garrafas de água sanitária;
  • Cabides;
  • Acessórios automotivos;
  • Objetos de decoração.

Os termoplásticos podem ser reaproveitados várias vezes. Portanto, são os de maior interesse desses negócios. Por conveniência também são os mais consumidos, tendo uma boa demanda em vários setores. Os plásticos recicláveis mais vendidos são:

  • PET;
  • PEAD;
  • PVC;
  • PEBD ou PELBD;
  • PP;
  • PS;
  • PLA.

A seguir nós explicamos detalhadamente as suas propriedades e onde são encontrados no nosso cotidiano. Então continue lendo para entender mais sobre o assunto.

Imagem de um monte de garrafas PET

PET: poli (tereftalato de etileno)

O PET é um dos plásticos mais comuns do nosso dia a dia. Ele é formado por uma reação entre um tipo de ácido e etileno glicol, tendo propriedades muito maleáveis. O que permite que seja moldado em vários formatos.

Principal utilização

Por ser muito popular é possível encontrá-lo em diversas áreas. Alguns dos produtos que surgem a partir dele são os seguintes:

  • Frascos;
  • Garrafas para uso alimentício;
  • Embalagens farmacêuticas;
  • Cosméticos;
  • Bandejas para micro-ondas;
  • Filmes audiovisuais;
  • Fibras têxteis.

PEAD: polietileno de alta densidade

Um material um pouco mais resistente que o anterior, também tem amplo consumo. Suas principais características são;

  • Leveza;
  • Resistência à baixa temperatura;
  • Impermeabilidade;
  • Rigidez;
  • Resistência química.

É usado em setores que precisam ter essas propriedades para cumprirem suas funções. Por isso, estão presentes em:

  • Embalagens de detergente e óleos;
  • Tampas;
  • Potes;
  • Sacolas de supermercado.

O plástico pode ser reciclado mantendo boa parte de suas características. Por isso, interessa bastante às empresas responsáveis pelo processo.

PVC: policloreto de polivinila

Esse material se difere dos anteriores por conseguir se manter transparente e não quebrar. Já suas outras funções como impermeabilidade e resistência à temperatura são similares.

Principal utilização

Com ele é possível produzir diversos objetos que usamos com frequência em nosso cotidiano. Costuma ser muito encontrado em:

  • Tubulação de água e esgoto;
  • Mangueiras;
  • Embalagens;
  • Perfis para janela;
  • Material hospitalar;
  • Brinquedos.

PEBD ou PELBD: polietileno de baixa densidade

O plástico é usado na fabricação de sacolas para supermercados. Ele também pode ser aplicado em filmes para embalar leite e fraldas descartáveis. Sua principal característica é ser flexível e leve.

PP: polipropileno

Esse material é altamente rígido, durável e resistente, por isso é importante para vários setores. Eles são muito utilizados em itens como os seguintes:

  • Filme para alimentos;
  • Caixas de bebidas;
  • Fios e cabos;
  • Embalagens industrial;
  • Cordas;
  • Autopeças;
  • Fraldas;
  • Seringas.

Possui uma variação chamada de BOPP que é metalizado. Porém a sua reciclagem é mais complexa e menos usual. Costuma ser utilizado em pacotes de bolacha.

PS: poliestireno

É o plástico mais encontrado nos supermercados. O que acontece porque está presente em nosso cotidiano das seguintes formas:

  • Bandejas de supermercado;
  • Potes de iogurte e sorvete;
  • Aparelho de barbear;
  • Frascos;
  • Pratos;
  • Copos.

Tende ser leve, flexível e termicamente isolado, o que explica sua larga atribuição a comidas. Porém, não tem uma grande resistência, então não pode ser usado em vários tipos de aplicações.

PLA: poli

Um material biodegradável ele é conseguido com a fermentação de alguns vegetais. Devido a isso tende a ser mais maleável, mas ser bem resistente. Com ele são feitos copos, embalagens e muitas outras coisas.

Imagem de garrafas de plástico iluminadas

Plásticos não recicláveis

Quase todos os tipos de plásticos presentes nessa lista são os resistentes à variação de temperatura. Ele é bastante usado em eletrodomésticos e eletroeletrônicos devido a essa capacidade. Atualmente existem pesquisas no mundo todo com o intuito de substituí-los.

Com essa propriedade é complexo para as indústrias de reciclagem encontrar formas de reaproveitá-los. Assim, eles são incinerados para não se tornarem resíduos permanentes na natureza. Os principais materiais com a característica estão listados a seguir:

  • Espumas, esponjas, EVA e isopor;
  • Plástico tipo celofane;
  • Embalagem a vácuo e metalizadas;
  • Fraldas e absorventes descartáveis;
  • Tomada;
  • Adesivos;
  • Cabo de panela.

Quando eles não são queimados, devem ser destinados a aterros sanitários. Existe uma Política Nacional para diminuir a quantia desses produtos. Ela foi criada pensando em estimular as fábricas de produção a auxiliar os processos de reciclagem.

Reciclagem do plástico

O procedimento para tornar os plásticos reutilizáveis é simples. Ele se inicia na separação de cada tipo nos Centros de Triagem. Depois disso são levados para as recicladoras, onde a reciclagem é mecânica. Nessa parte existem quatro etapas:

  • Fragmentação – resíduos passam por um processo para reduzir de tamanho;
  • Lavagem e separação – eles são lavados e separados pela densidade apresentada;
  • Secagem – os pedaços são secos em grandes máquinas com ar quente;
  • Extrusão – os flakes secos são fundidos por aquecimento e levados a uma matriz.

Nesse ponto eles formam grandes filamentos, são resfriados e cortados formando os novos plásticos. Além desse processo, há também a química onde eles sofrem reações para se tornar matérias-primas.

Todo plástico pode ser reciclado?

Como vimos aqui, existem materiais que ainda não possuem a tecnologia necessária para serem reciclados. Isso acontece devido a algumas resistências que eles oferecem. Com isso, os processos existentes não são eficientes para sua transformação.

Existem diversas pesquisas para melhorar esse aspecto. Mas, no momento, os plásticos recicláveis são os citados acima.

Comentários