Matéria-prima, qualidade da produção, valor: como garantir que sua compra não renderá dor de cabeça no futuro - Merchan Plásticos
Blog

Matéria-prima, qualidade da produção, valor: como garantir que sua compra não renderá dor de cabeça no futuro

Matéria-prima, qualidade da produção, valor: como garantir que sua compra não renderá dor de cabeça no futuro

O ato de comprar é bastante comum em nossas rotinas. Mas, será que sabemos comprar?

Mais do que simplesmente adquirir um produto e pagar pelo custo determinado pela empresa responsável pela venda, comprar deve ser um ato realizado a partir de uma escolha consciente.

Conheça, a seguir, alguns dos aspectos mais importantes a serem analisados em um produto antes de finalizar sua compra.

A importância da matéria-prima

O primeiro fator a ser analisado na maioria dos produtos é a qualidade de sua matéria-prima. É a composição desse material que irá determinar diversos aspectos do produto.

Itens compostos em materiais de alta qualidade apresentam vantagens como:

  • Durabilidade;
  • Resistência;
  • Facilidade para o descarte.

A qualidade da matéria-prima interfere diretamente na durabilidade de um produto. Esse é um fator de grande importância para que um consumidor não se arrependa da compra realizada. Imagine adquirir um produto hoje e amanhã notar que ele quebrou, se deformou ou apresentou qualquer irregularidade que compromete o seu uso. Seria um prejuízo, não é mesmo? Avaliar a durabilidade, ou o tempo de vida útil, de um produto é fundamental para calcular seu custo-benefício. Produtos duráveis, mesmo que sejam mais caros, podem ser mais econômicos do que itens baratos que se danificam com facilidade.

Apesar de semelhantes, a resistência e a durabilidade não são a mesma coisa. A durabilidade, como já mencionado, diz respeito a quanto tempo o produto irá durar. Já a resistência está relacionada à capacidade do produto de suportar condições que poderiam deteriorá-lo.

Existem vários tipos de resistência. Isso faz com que seja necessário saber, para cada tipo de aplicação, qual a resistência mais importante. Itens instalados em ambientes externos, por exemplo, estão expostos a fatores climáticos como a exposição ao sol e às chuvas. Nesse caso, a matéria-prima de que são compostos esses itens deve ser resistente às ações nocivas das radiações solares e ao contato com a água. Isso vale para produtos de sinalização viária, lixeiras utilizadas em ambientes abertos, cavaletes, entre outros. Opções como as caixas organizadoras precisam de outro tipo de resistência. Estas devem contar com estrutura robusta, capaz de suportar significativas quantidades de peso em seu interior. As caixas precisam, portanto, de resistência mecânica.

Outra característica importante para analisar a qualidade de uma matéria-prima é sua facilidade de descarte.

O descarte é um momento muito negligenciado, mas, que deveria ser levado mais em consideração no ato da compra de um produto. Normalmente, não pensamos nisso porque não pretendemos nos desfazer de nossa compra tão cedo. Porém, esse momento sempre chega, seja devido à necessidade de desapegar de objetos, seja porque aquele item não corresponde mais às suas necessidades, entre outras inúmeras situações possíveis

Para que o descarte do produto seja o mais prático, simples e ecologicamente responsável possível, é preciso que este seja composto em matéria-prima que não agrida o meio ambiente. É o caso de materiais recicláveis, por exemplo, que podem ser reutilizados e retornar à cadeia de produção e consumo, evitando o seu descarte na natureza. Outra opção são as matérias-primas biodegradáveis, capazes de se reintegrar ao meio ambiente com rapidez e sem gerar poluições.

Uma maneira de verificar se os produtos de uma determinada empresa atendem aos requisitos de preservação ao meio ambiente é conferir quais são as normas atendidas pela fabricante. As principais normas relacionadas a esse aspecto são as elaboradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA).

Não basta o material ser bom: ele precisa passar por bons métodos de produção

Além de avaliar a qualidade da matéria-prima de um produto, outro aspecto importante é a qualidade da produção que leva esse material a se transformar no produto final que você pretende adquirir.

Esse aspecto pode parecer um pouco mais difícil de avaliar, porém, existem algumas estratégias que auxiliam nessa verificação.

Durante a pesquisa sobre os produtos de uma determina fabricante, é possível observar fatores como:

  • Maquinário empregado na produção;
  • Qualificação da mão de obra atuante na fabricação;
  • Controle de qualidade utilizado pela empresa.

Para que a matéria-prima seja convertida em peças e produtos de boa qualidade é necessário que o processo de fabricação utilize as ferramentas mais apropriadas para a obtenção dos resultados desejados. O uso de máquinas apropriadas e demais sistemas produtivos que tornem a fabricação otimizada, padronizada e ágil é fundamental para viabilizar uma produção respeitável.

O maquinário é importante, porém, não é o único fator a ser observado. Apesar do crescente aprimoramento das técnicas de automação presentes nos mais variados setores produtivos, a mão de obra humana continua sendo determinante para a obtenção de resultados de qualidade.

Por isso, é interessante verificar quais são as informações que a fabricante em questão disponibiliza a respeito da qualificação de sua equipe de profissionais. Também é importante conferir se a empresa oferece treinamentos aos seus colaboradores. Quanto maior for o investimento da empresa na atualização e qualificação de seus profissionais, mais confiáveis são os seus produtos.

Outra dica valiosa para avaliar é verificar qual é o sistema de gestão de qualidade utilizado pela empresa. São diversas as organizações e estratégias para controlar a qualidade da produção. Em geral, esses sistemas são padronizados de acordo com as normas técnicas vigentes no setor produtivo em que a fabricante se insere.

Sendo assim, uma maneira de avaliar a eficiência da produção é através da análise de quais são as normas e certificações utilizadas pela empresa.

Entre as certificações mais confiáveis do mercado atual, destacam-se as da International Organization for Standardization (ISO) e as da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Quanto vale a qualidade?

Por fim, outro aspecto a ser observado em um produto é, sem dúvida, o seu valor. Porém, como calcular isso?

Essa questão foi propositalmente deixada para o final e isso tem uma razão: somente após avaliar os mais importantes dos aspectos acima mencionados é que se pode determinar se o custo de um produto condiz com os benefícios que este proporciona.

Preço baixo não deve ser o único critério de um consumidor, pois, como nos ensina o dito popular, às vezes “o barato sai caro”.

Portanto, mantenha sua atenção alerta para as informações mais relevantes sobre um produto, faça bem sua avaliação e, ao encontrar as ofertas mais vantajosas, aproveite a oportunidade.

Pronto para experimentar? Então, boas compras!

Comentários