O Humano terá espaço no mercado 4.0 - Merchan Plásticos
Blog

O Humano terá espaço no mercado 4.0

O Humano terá espaço no mercado 4.0

É necessário buscar novos conhecimentos para não ficar de fora do mercado de trabalho

Em filmes que abordam o futuro, máquinas dominam o mundo e assumem o lugar dos seres humanos. Com certeza, isso jamais acontecerá, pelo menos não como mostra a ficção. Mas se os profissionais e as empresas não estiverem preparados para a transformação tecnológica, ficarão no passado. 

A Revolução Industrial 4.0 chegou para ficar e não há nenhuma possibilidade de as corporações voltarem ao que eram há alguns anos. Na verdade, a tendência é surgirem tecnologias ainda mais avançadas, com sistemas autônomos alimentados por dados e Inteligência Artificial (IA). 

No futuro bem próximo, computadores conectados uns aos outros tomarão as suas próprias decisões sem precisarem da interferência dos humanos. De certa forma, isso já ocorre nas indústrias, nos negócios e até na nossa vida pessoal. 

Ignorar a evolução das máquinas é difícil, mas podemos conviver em harmonia com os softwares, sensores, IA, robôs e com outras diversas ferramentas tecnológicas que nos cercam diariamente. 

Mudanças em todos os setores

Imagem de robô digitando em teclado

O professor dos cursos de graduação em Engenharia de Controle e Automação e Engenharia de Produção da PUCPR, Fernando Deschamps, explica que os negócios que utilizam o conceito 4.0 foram os que mais apresentaram resultados positivos durante a crise econômica gerada pela pandemia do coronavírus. 

Segundo ele, todas essas corporações têm em comum a aplicação de softwares e plataformas (SaaS e PaaS) no seu cotidiano. A utilização de aplicativos para diferentes finalidades também é um ponto comum das empresas que utilizam a estratégia 4.0.

“Os setores que usamo ferramentas avançadas para definir formas de coletar dados, armazenar, processá-los e usando-os de maneira estratégica, são os mais promissores e competitivos. Essas corporações precisam de profissionais criativos, com habilidades de análise de dados e capacidade de comunicar o que descobriram”, destaca Deschamps.

Durante a pesquisa 2021 Industry 4.0 Survey, foi constatado que 49% das empresas entrevistadas pretendem continuar investindo em tecnologias nos próximos 6 a12 meses e após a superação da crise sanitária no Brasil. O estudo aponta também uma tendência de aumento da competição no mercado. Nessa concorrência é necessário combinar agilidade, qualidade, rapidez e custo reduzido no atendimento ao cliente. A preparação para ganhar mais espaço no mercado não depende apenas da aquisição de sistemas tecnológicos avançados, mas de profissionais qualificados para desempenharem bem a função. 

Quanto aos aplicativos que podem melhorar o desempenho de uma empresa e a tomada de decisões em setores de compra, Recursos Humanos, produção e vendas, o mercado tecnológico oferece diversos tipos. Aqui, apresentaremos os sistemas mais utilizados pela maior parte das corporações. 

  • Internet das coisas (Internet of Things – IoT): Permite a coleta e troca de dados por meio de dispositivos eletrônicos conectados à rede. 
  • Big Data Analytics: Sistema usado para a captura, análise e gerenciamento de dados. As estruturas de coleta e armazenamento de informações são complexas e extensas e precisam de um profissional altamente capacitado para interpretá-las.
  • Segurança: sistemas tecnológicos capazes de protegerem o know-how da companhia. 

Todos esses sistemas citados possibilitam a capacidade de operá-los em tempo real, descentralização e virtualização de todo o processo. 

Ainda há muito caminho para percorrer

Mesmo com o crescimento da Indústria 4.0, ainda encontramos muitas companhias com sistemas centralizados e que não conseguem romper as barreiras físicas. Essa realidade não é vista só no Brasil. Em países de primeiro mundo, como os Estados Unidos, mais da metade das companhias resistem às tecnologias de dados e aos sistemas descentralizados. 

No Brasil, a implementação também está lenta, mas há um grande otimismo no setor. Dados da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), ligada ao Ministério da Indústria e Comércio (MDIC), a previsão é de que em 10 anos, mais de 15% das empresas atuem na indústria 4.0. 

A grande oportunidade deve ocorrer com a chegada do 5G no Brasil. Com isso, será possível conectar vários dispositivos com uma velocidade maior. O 5G possibilita a troca de informações, permitindo diversas aplicações intensivas no uso de dados, por exemplo, realidade virtual e realidade aumentada. 

Como ficam os humanos no mercado 4.0?

A tecnologia está inserida na vida de milhares de pessoas. Hoje em dia, não são apenas os celulares que fazem parte do nosso cotidiano. Mesmo de maneira indireta, a nossa vida pessoal e profissional está cercada de produtos que fazem uso da tecnologia. A automação é um desses sistemas que veio para transformar o nosso dia a dia, por meio de veículos autônomos, aparelhos domésticos inteligentes que podem ser controlados remotamente, entre outros equipamentos feitos para tornar a vida mais fácil. 

Apesar de facilitar muitas coisas, a automação aliada a Inteligência de Artificial foi responsável pela extinção de postos de trabalho. Essa realidade é sentida em vários setores da economia e não apenas na produção industrial. Estão ameaçadas pelo conceito 4.0, profissões, como porteiros, recepcionistas, Recursos Humanos, operadores de telemarketing, pessoal dê vendas, motoristas.

Com a extinção de muitas profissões, surgem também novas oportunidades. Todas ligadas às novas tecnologias. Cada vez mais o avanço tecnológico exige profissionais especializados em desenvolver aplicativos e ferramentas, além de interpretar dados fornecidos pelos sistemas de software avançados e de gerenciar as máquinas remotamente. 

Para sobreviver ao boom 4.0, não só as empresas devem estar preparadas e os profissionais mais ainda. É preciso conseguir acompanhar todos esses avanços para não ser substituído e para tornar-se competitivo. 

Daqui para frente, as carreiras promissoras serão aquelas ligadas à tecnologia da informação e ao desenvolvimento de soluções estratégicas. O humano precisa se adaptar a essa nova realidade e aprender a trabalhar junto com máquinas. 

Para que o humano tenha espaço no mercado 4.0, a nossa principal dica é começar a estudar, buscar novas oportunidades profissionais, fazer cursos, se atualizar constantemente. E isso vale para todos os tipos de profissão: RH, administradores, gestor de compras, vendas, arquitetura, engenharia, medicina. Enfim, nenhum setor ficará de fora do conceito 4.0. Por isso, comece a buscar conhecimento desde já para ser um profissional apto e desejado para o mercado. 

Comentários